BRASILTURIS JORNAL - Chevrolet mostra o divertido Sonic, em Búzios

Chevrolet mostra o divertido Sonic, em Búzios

Novo carro chega nas carrocerias hatch-back e sedan


Publicado em 30/05/2012 às 12h37
« Ir para a lista de matérias


A General Motors acaba de apresentar dois importantes produtos para preencher um espaço que se encontrava “vazio” dentro da sua gama de produtos. Trata-se do Sonic, tanto na versão hatch-back, como também na sedan. Posicionados como compactos premium, ambos os modelos ficam acima do Agile e Cobalt, e logo abaixo do Cruze. Os novos produtos chegam para brigar diretamente com a família New Fiesta da Ford, bem como o Honda Fit e City. E para esse lançamento tão especial a Chevrolet usou como base, o hotel Superclubs Breezes  em Búzios, no estado do Rio de Janeiro. 

 

O nome escolhido para esses dois novos produtos da Chevrolet tem força. Ainda que a marca jure que o nome é inédito e não guarda correlação com qualquer outra coisa, é difícil escutar a palavra “Sonic” e não lembrar do porco-espinho que era a estrela de um jogo de vídeo-game da Sega como desnho animado, e que virou febre nos anos 90. De qualquer forma, o nome é tão forte e insinuante quanto o novo carro. Ambas os modelos do Sonic são importados da Coréia do Sul.

 

Segundo a marca, o novo Sonic foi concebido para fazer da condução cotidiana de um modelo compacto, uma experiência mais dinâmica e que oferece maior prazer ao dirigir. Além disso é focado em consumidores mais novos e também aos jovens de espírito, com gosto pelo design, sofisticação e exclusividade. E realmente o carro entrega isso. Na categoria, o estilo do carro Chevrolet concorre fortemente com o arrojo do New Fiesta, e deixa para trás aquele visual sem graça dos modelos da Honda.

 

Estilo

 

Independente da questão do gosto pessoal de cada um, o Sonic é um carro que inova no estilo. De todos os ângulos, o Sonic transmite ousadia na construção. As linhas esportivas, alinhadas com os faróis de refletores aparentes sugerem maior agressividade, lembram até mesmo um carro customizado por uma preparadora.

 

Na dianteira, o destaque fica com o conjunto ótico. Os faróis tem canhões de luz expostos. A grade bipartida remete ao design da Chevrolet. Mas o sedan e o hatch são modelos bem distintos. O sedan, visto de lado, é mais comportado. Já o hatch, vem com visual mais ousado. A traseira do Sonic hatch reforça o espírito jovem, uma vez que incluem lanternas pouco convencionais, inspiradas nas motocicletas.

 

Interior diferenciado

 

Não é só por fora que o Sonic inova. O interior segue essa mesma tendência de inovação. No mesmo nível de equipamento (ou seja, dentro da versão LT ou LTZ), não existem diferenças de configuração do design interno entre o hatch e o sedan. Assim como no Cruze, o duplo cockpit é um elemento de design característico.

 

Mas o modelo consegue ser diferente por outras coisas, como as saídas redondas do sistema de ventilação que sobressaem da superfície do painel. Já no centro do painel, as saídas de ar são retangulares.

 

Outro resgate conceitual, é o uso do mostrador do painel, com elementos em LCD digital. Desde o Kadett Gsi e da primeira geração do sedan de luxo Omega, a Chevrolet não utilizava uma solução como essa. Porém no Sonic, os elementos digitais estão misturados com mostradores analógicos, e essa é a grande inovação. Tudo isso, iluminado na tonalidade Ice Blue.

 

Os locais para os porta-objetos não forma esquecidos. Além dos dois porta-luvas, um deles com tomada USB integrada, vários pequenos compartimentos e bolsas nas portas, bem como três porta-copos à frente estão presentes. Destaque para dois compartimentos no centro do painel que ladeiam o radio, ideal para celulares.

 

O espaço para bagagens fica assim. Na versão sedan são 477 litros de capacidade . Já no hatch o espaço é de 265 litros. Porém, com os bancos traseiros rebatidos o espaço sobre para 665 litros.

 

Powertrain

 

O Sonic chega equipado com o motor 1.6 16V Ecotec, podendo estar associado a um câmbio manual de cinco marchas ou automático de seis (inédito no segmento). Apenas para informação, a estratégia da Chevrolet é focar no câmbio automático, oferecendo o manual apenas como alternativa.

 

O moderno motor Ecotec 1.6 litro reúne características interessantes, como cabeçote com duplo comando de válvulas continuamente variável (Dual CVVT). Além disso, também traz  coletor de admissão variável, o que torna as respostas do motor mais rápidas. Outra mudança são as bielas forjadas, ao invés de fundidas, que garantem muito mais durabilidade. Tudo isso se traduz num motor eficiente, econômico e com baixo nível de emissões. Num teste rápido, usando um modelo equipado com computador de bordo e câmbio automático, o carro informava média de consumo com álcool, de 10 km/l, rodando a 120 km/h com ar-condicionado ligado e três pessoas no carro.

 

Quando o assunto é desempenho, o Sonic esta dentro da média. O motor 1.6 16V chega a 120 cavalos quando abastecido com etanol e 116 com gasolina, a 6.000 rpm. O torque máximo, com etanol, é de 16,3 kgfm e aparece já nas 4.000 rpm. Com gasolina, o torque é de 15,8 kgfm, na mesma rotação. Vale ressaltar que 90% do torque já estão disponíveis a partir das 2.200 rotações, deixando o carro ágil no trânsito urbano.

 

Dirigibilidade

 

Ainda que o Sonic tenha como foco uma cliente mais jovem, sendo algo entre 20 à 30 anos na versão hatch e 25 à 35 anos na versão sedan, o Sonic é um carro que privilegia o conforto interno. Ambas as suspensões são macias, oferecendo um rodar suave. Outro detalha é a direção assistida hidráulica bastante leve. A versão hatch-back parece seu um pouco mais firme no ajuste de suspensão do que a sedan. Isso se deve, provavelmente, pelo menor comprimento e peso do veículo.

 

Equipamentos e versões

 

Outro fator que agrada muito no Sonic é o bom nível de equipamentos desde a versão básica. O Sonic será vendido nas versões LT e LTZ, oferecendo um excelente conteúdo desde a versão de entrada. A versão LT traz ar-condicionado, airbags dianteiros, direção hidráulica, computador de bordo, freios com ABS e EBD, trio elétrico, rodas em liga leve aro 15 e desembaçador do vidro traseiro.

 

Já a versão LTZ acrescenta sensor de estacionamento, faróis de neblina dianteiros, rodas em liga leve aro 16 com pneus 205/55 R16, descansa braço central, controles para o rádio no volante e rede porta-objetos no porta-malas. Além disso, a versão do Sonic LTZ ainda oferece a opção do câmbio automático de seis marchas, piloto automático e o revestimento dos bancos em couro.

 

O Chevrolet Sonic será comercializado em seis diferentes cores: Vermelho Flame, Azul Boracay (exclusiva do hatch), Cinza Urban, Prata Switchblade, Preto Carbon Flash (todas metálicas) e Branco Summit (sólida). O Sonic chega ao mercado com garantia de 3 anos, e sem limite de quilometragem.

 

Preços 

 

Os preços ficam assim: O Sonic LT hatch por R$ 46,2 mil e o sedan por R$ 49,1 mil. A versão LT não oferece câmbio automático. Já a versão LTZ com câmbio manual custa R$ 48,7 mil (hatch) e R$ 53,6 mil (sedan). Com o câmbio automático de seis marchas sobe para R$ 51,5 mil no hatch e R$ 56,1 mil no sedan. A Chevrolet estima vender apenas 1.200 unidades mês para todas as versões e configurações do Sonic, no Brasil. Número bastante modesto, considerando o bom produto que o carro representa, bem como o custo-benefício favorável que o novo produto traz.

 




Separe os emails de seus amigos por ";"


Mais Vistas